07/01/2011

Diferente formas de ver a (geo) privacidade

Estava a ler o http://aboutfoursquare.com quando vi esta história

Basicamente um escocês afirmou andar a ser seguido através do foursquare. Onde ele estava aparecia a Stalker. Vai daí, toca a afirmar para todos os lados, os perigos da geolozalização. A polícia também se junta ao pagode "Police, who are currently investigating the cyberstalking case, have warned people to be careful about the the information they put on social networking sites, pointing out that Facebook Places also lets users sign into locations."

Amigos, como bem diz o site. Só existem duas formas de alguém saber, onde eu estou através do foursquare.
  1. Aceitar essa pessoa como amiga. Coisa que pode ser revogada a qualquer momento, basta ir ao site (ou mesmo através das aplicações móveis)
  2. Tweetar o check-in do foursquare, coisa que eu faço.
O que eu vou fazer se começar a ser seguido por uma doida? Ou deixo de fazer ping do foursquare no twitter (ou seja auto-publicação da localização no twitter). Ou protejo a minha conta do twitter apenas para quem eu conheço... Simple as that.

Por fim, geo localização é interessante e seguro. E não falo apenas da coisa e das suas vantagens no marketing. Já me encontrei com amigos, por ver que eles estão perto. Já fui a bares sugeridos por utilizadores de foursquare.E no futuro o próprio site me dirá, quando estiver numa nova cidade, quais as venues que pessoas como eu gostam de ir... Quase como ter um amigo em todas as cidades, que nos diz "vais gostar deste restaurante". Por vezes gostamos da recomendação, outras não.

Pensem no foursquare como o selo do postal (sendo o postal o twitter). Lá, vinha sempre a informação por onde andavam, agora o mundo é global e instantâneo. Os perigos existem e vão continuar a existir. 
Provavelmente muita gente no futuro irá ser roubado (violado, etc) por causa da geo-localização. Mas na minha perspectiva, é a forma moderna de dizer em alta voz, no café, que a nossa casa vai estar vazia durante duas semanas.... porque eu vou de férias. 

No fundo, como sempre foi e vai continuar a ser, é preciso cuidado com o que se diz, quando se diz e a onde se diz.

E para quem não gosta da geo-localização, vejam o video em baixo. A geo-localização e redes sociais são, a parte moderna dos cadernos de viagens (onde se guardavam os bilhetes de comboio e dos museus)

[vimeo http://www.vimeo.com/16474788 w=500&h=283]