30/11/2011

Qual é o teu Beatle preferido?





Acabei ontem de ver o Living in a Material World, o documentário do Scorsese sobre o George Harrison. E, para quem gosta de Beatles, vale bem a pena ver. 


Devido a este documentário tenho lido muitíssimas pessoas a dizer que desde pequeninas que o seu Beatle preferido é o Harrison. É fácil perceber porquê. Era o mais espiritual, fez uma mão cheia de músicas notáveis. Era o mais novo e tal como o Ringo não era da primeira liga (Lennon, McCartney)

No entanto para mim, tirando num breve espaço temporal, nunca foi o meu favorito. Quando conheci Beatles, ainda novo, dei por mim especialmente fã do Lennon. E praticamente ao mesmo tempo que descobria Beatles descobria a discografia de Lennon a solo. E percebo porque preferia este, era o mais aparentemente revolucionário. O mais enigmático e talvez o mais mitológico dos 4 (morreu cedo e de forma violenta).

Quando me deixei de tretas, comecei a gostar por um breve período do Harrison. Não pelas tretas espirituais, mas pela música. Além de gostar do som da guitarra, o tipo ainda escreveu a Something, Here Comes the Sun e a While My Guitar Gently Weeps. (embora aqui o leitor possa descobrir uma contradição, digo que não era pelas tretas espirituais, mas escolhi 3 músicas espirituais. Nóias minhas.) E não esquecer que o tipo financiou os  Monty Python!

Nos últimos anos converti-me num McCartneyano. O tipo escreveu dezenas (centenas?) de músicas brilhantes. Aguentou com as cenas do Lennon,  uma mulher que morreu, outra que o fo***, roubou. Conseguiu fazer coisas interessantes depois de sair da banda. E mais importante, ninguém o considera o preferido e eu por norma estou sempre com os preteridos.

Sobre o Ringo... três pontos chegam? Mas simpatizo com ele, mas a Octopu's Garden não é suficiente.

23/11/2011

Fleet Foxes - The Shrine / An Argument

Como se a música não chegasse, ainda têm o descaramento de fazer um óptimo video clip. 

O director do clip dizia que este video deveria ser visto em HD e com headphones (ou boas colunas). Concordo, é pecado ver isto com aquilo que saí dos computadores portáteis e que alguns chamam som.


The Shrine / An Argument from Sean Pecknold on Vimeo.
Music: Fleet Foxes
Album: Helplessness Blues
Director: Sean Pecknold



22/11/2011

Nissin - Boil Japan

Para mim um boa publicidade é aquele que é coerente com o posicionamento. Que vai ao encontro dos públicos alvos, que respeita as oportunidades de comunicação e isso tudo e tudo e tudo e tudo. Ou então metem uma personagem da Guerra das Estrelas.




Para quem gostar de Transformers...

14/11/2011

Um dia de Flickr

Querem ver o tamanho (físico) de um dia de uploads para o Flickr? Erik Kessels imprimiu as mais de um milhão de fotografias que foram enviadas num só dia para o flickr, e criou uma exposição com todas essas fotografias. É uma forma excelente de percebermos a quantidade insana que todos os dias é enviada para a cloud






11/11/2011

Rinocerontes no céu

Esqueçam o porco dos Pink Flyod no céu de Londres.

Muito mais giro são rinocerontes no céu de Africa. A operação organizada pela WWF e além de salvarem os animais, ainda sacaram um pequeno video com umas imagens incríveis. Vale bem a pena perder uns minutos a ver.






via fubiz

08/11/2011

The Beuty of a Second


O novo relógio da montblanc é uma comemoração dos 190 anos do cronógrafo, inventado por Nicolas Rieussec. Para promover o relógio a marca criou um concurso que consiste em criar filmes de um segundo. Capturar a beleza de algo em apenas um segundo.
Pode ser com o telemóvel, com maquinas fotográficas, com maquinas de filmar. Qualquer forma serve.

Para apresentar o concurso chamaram  o Wim Wenders que fez um óptimo trabalho e deu excelentes exemplos do que se pode fazer em tão pouco tempo. O anuncio só por si vale bem a pena ser visto.

Ver mais aqui

07/11/2011

Cartografia das línguas nas web



Usando o browser chrome e o twitter, o cartografo Eric Fisher desenhou um "novo" mapa mundo. É giro ver neste mapa os diferentes países e as suas fronteiras. É fácil ver a Catalunha, mas não é possível saber onde começa e acaba, por exemplo, a Bélgica ou a Suiça.
É fácil ver como Portugal está a vazio no interior, na medida que o roxo acumula-se no litoral. 


Ver melhor aqui.
Download aqui


Via adverblog

03/11/2011

Se a Coca-cola diz...

....é porque de facto já estamos em período natalício.





Faz lembrar o do ano passado, não é? Ainda bem.